terça-feira, 1 de abril de 2014

Voluntários cuidam da pessoa idosa em bases humanitárias

Quem vive um momento de fragilização espera amparo para viver seu cotidiano de maneira digna, em equilíbrio com as contribuições que já legou a sua comunidade, um cuidado prestado de acordo com os direitos das pessoas idosas, resultante de afeto e apreciação sinceros.
 
Enquanto as sociedades se preparam para todas as implicações do envelhecimento, na esfera pessoal as pessoas reconhecem a premência de cuidar para além da prevenção e do tratamento. Diante da fragilidade, a estratégia é mudar o paradigma para ter os sujeitos do cuidado – quem recebe e quem presta o cuidado – no centro de um processo social de trocas intergeracionais, de promoção da independência, de serviços públicos adequados e de toda espécie de contato facilitador do conforto e do bem estar da pessoa.
 
O trabalho apresentado no Seminário “A experiência da Pastoral da Pessoa Idosa - trabalho voluntário de visita domiciliar” se aproxima desses princípios, em consonância com os requisitos de uma cultura do cuidado estruturante de relações que podem suavizar condições de vida tornadas árduas. A Coordenadora Nacional da Pastoral da Pessoa Idosa (PPI) e Conselheira Titular no Conselho Nacional dos Direitos da Pessoa Idosa, Irmã Terezinha Tortelli, foi expositora no Seminário realizado pela parceria do Centro Internacional de Longevidade (International Longevity Centre Brazil – ILC-BR) com o Centro de Estudo e Pesquisa do Envelhecimento (CEPE) na manhã do dia 1º de abril. A Pastoral da Pessoa Idosa foi fundada em 2004 por D. Zilda Arns Neumann, primeira coordenadora nacional e ícone do movimento, falecida em 2010.
 
Modo de ação da Pastoral desperta interesse no voluntariado
 
A apresentação da Irmã Terezinha Tortelli contextualizou o trabalho da Pastoral da Pessoa Idosa a partir da história de seu surgimento, fundação e implantação configurada por pessoas voluntárias da própria comunidade; capacitação básica e formação contínua mensal; organização de líderes comunitários e acompanhamento das pessoas idosas mais vulneráveis por meio de visitas domiciliares.
Irmã Terezinha Tortelli apresenta a Pastoral da Pessoa Idosa
 
Com essas visitas, a PPI objetiva fortalecer os vínculos familiares; prevenir a institucionalização; proporcionar uma ponte entre a família e os serviços de apoio e atendimento; identificar uma demanda (os fragilizados) e perceber a necessidade da organização da “Rede local de apoio à pessoa idosa”. Também é finalidade da PPI o incentivo à criação e participação nos conselhos de direitos da pessoa idosa em todos os níveis. A Irmã Terezinha ressaltou o papel essencial do sistema de informação sobre a situação das pessoas idosas acompanhadas, com dados coletados nos municípios de atuação da PPI e indicadores de efetividade do programa.
 
A Irmã Terezinha Tortelli enfatizou a importância fundamental de que se realize “parcerias, somando esforços com outras pastorais, comunidade científica, associações de geriatria e gerontologia, organizações de defesa de direitos das pessoas idosas, de assistência social e outras entidades afins”.
 
O encantamento do público com o programa suscitou muitas perguntas e comentários lidos pelo mediador do debate, Alexandre Kalache, presidente do Centro Internacional de Longevidade (ILC-BR). Esse momento do seminário trouxe para o público o trabalho de natureza diversa do voluntariado, vivenciado por uma coordenadora de cursos de preparação de cuidadores de idosos e por uma cuidadora de idosos. Rosângela Gomes é coordenadora de cursos de cuidador do CEPE e, desde 2009, do Instituto Vital Brazil; é enfermeira do Hospital Universitário Antonio Pedro (UFF) e atua como docente nos cursos e nos contatos com equipes da atenção primária das localidades para identificar as famílias com idoso dependente. A cuidadora de pessoas idosas, Claudineia Santos Costa, tem 15 anos de experiência no cuidado domiciliar; é formada em curso para cuidadores promovido pela Associação de Aposentados e Pensionistas de Volta Redonda e possui curso de Técnica de Enfermagem.
Em debate: Alexandre Kalache, moderador, Claudineia Santos Costa, cuidadora de idosos, Rosângela Gomes, coordenadora de cursos para cuidadores de idosos, e Irmã Terezinha Tortelli, coordenadora nacional da Pastoral da Pessoa Idosa.
 
Ao final do seminário, surgiu uma proposta de juntar esforços com a PPI a ser intermediada pelo Centro Internacional de Longevidade (ILC-BR).
 
Sobre a expositora:
 
A Irmã Terezinha Tortelli assumiu a função no dia 18 de maio de 2010, após falecimento da Dra. Zilda Arns que exercia a coordenação nacional. A Irmã Terezinha Tortelli nasceu no Interior do Rio Grande do Sul, formou-se Enfermeira pela PUC-Paraná, cursou pós-graduação em Planejamento Familiar pela Universidade do Chile e em Gerontologia Social pela PUC-RGS. A Pastoral da Pessoa Idosa foi fundada no dia 05 de novembro de 2004, durante a I Assembléia Nacional da Pastoral da Pessoa Idosa (PPI), e seu trabalho voluntário de visita domiciliar se estende por 25 estados e 800 municípios. Atuante na Pastoral desde sua fundação, a Irmã Terezinha Tortelli foi Secretária Executiva durante a coordenação de Zilda Arns. Como Coordenadora Nacional da Pastoral da Pessoa Idosa, a Irmã Terezinha recebeu da Presidenta da Republica Dilma Rousseff o Prêmio Nacional de Direitos Humanos 2012 na categoria “Garantia dos Direitos da Pessoa Idosa”, durante solenidade no Palácio do Itamaraty, em Brasília (DF), no dia 17 de dezembro de 2013.
 
O Ciclo de Eventos “Desenvolvimento de uma Cultura do Cuidado” é uma iniciativa conjunta do Centro Internacional de Longevidade Brasil (ILC-BR) e do Centro de Estudo e Pesquisa do Envelhecimento (CEPE), alinhada à Declaração do Rio: “Além da Prevenção e Tratamento: Desenvolvendo uma Cultura do Cuidado em resposta à Revolução da Longevidade”, que convoca à ação todos os setores da sociedade, inclusive comunidades de fé e de solidariedade voluntária.

Um comentário:

  1. Maria de Lourdes8 de julho de 2017 09:25

    Eu estou precisando muito de fazer parte desse pastoral.tenho marido parkisoniano e ñ estou sabedo lidar com a situação.

    ResponderExcluir